Pesquisa avançada
Início - Comunicados - Comunicados 2017
 
 
Comunicados 2017
Partilhar

|

Imprimir página
09/02/2017
Os Verdes reafirmam a sua oposição à construção de uma incineradora de resíduos urbanos em São Miguel

 
O Partido Ecologista “Os Verdes” vem, desde há muito, acompanhando a intenção de se construírem incineradoras no arquipélago dos Açores para fazer face ao problema dos resíduos sólidos urbanos. E neste processo sempre afirmámos a nossa firme oposição à incineração como forma de tratamento destes resíduos.
Nos últimos tempos temos desenvolvido diversas iniciativas, reuniões e visitas, nomeadamente com autarcas, onde afirmámos a nossa oposição ao sistema proposto. Reunimos inclusivamente com os autarcas da ilha da Terceira, onde o sistema, já tendo entrado em funcionamento, nos levantou igualmente grandes dúvidas, por exemplo sobre a eventualidade de importar resíduos de fora do arquipélago para sua rentabilização.
Reunimos também com organizações não governamentais de ambiente, visitámos a Central de Vermicompostagem no Nordeste e promovemos diversas ações de sensibilização da população sobre os perigos inerentes à incineração de resíduos.
“Os Verdes” reafirmam que a incineração não é uma solução compatível com a saúde pública e com um ambiente sadio a que todos têm direito. Pela libertação de substâncias perigosas para a atmosfera, que se acumulam nas pastagens e passam para o leite das vacas, produto fundamental na economia açoriana, ou que se bioacumulam nos diversos seres vivos, incluindo os seres humanos, sendo causa de diversas patologias graves. Para além desta questão, as cinzas resultantes da queima constituem resíduos tóxicos perigosos, muito mais perigosos que os resíduos que lhes deram origem.
A queima constitui ainda um forte desincentivo à redução, reutilização e reciclagem de resíduos, pois uma incineradora, enquanto fábrica de eletricidade, precisa de resíduos para ser rentabilizada, e quanto mais melhor.
O Partido Ecologista “Os Verdes” reafirma que há outras soluções bem mais interessantes para tratamento dos resíduos sólidos urbanos nos Açores. Elas passam primordialmente por uma verdadeira política de redução na origem, ou seja, limitar a importação de matérias para as ilhas que à partida irão logo constituir resíduo e sem qualquer utilidade, como é o caso das embalagens excessivas ou supérfluas ou dos próprios sacos de plástico.
Por outro lado, soluções como a compostagem de resíduos orgânicos, apoiados por uma forte e eficiente separação na origem, o tratamento mecânico e biológico (TMB) e a recuperação de materiais recicláveis e reutilizáveis constituem soluções de futuro adequadas às características do nosso arquipélago. Consideramos que este deve ser o verdadeiro caminho para a resolução do problema dos resíduos.
Da mesma forma, condenamos qualquer tentativa de encerramento da Central de Vermicompostagem no Nordeste, uma experiência com elevado interesse e que deve ser aprofundada, a qual “Os Verdes” visitaram em março do ano passado, tendo valorado profundamente o seu desempenho.
 
Por todos estes motivos o Partido Ecologista “Os Verdes” reafirma a sua oposição à contrução de uma central de incineração de resíduos em São Miguel ou em qualquer outra ilha dos Açores, assim como contestamos o funcionamento da já existente na ilha da Terceira.
Somos solidários e apoiamos os movimentos de cidadãos que têm estado recentemente a contestar este projeto, tal como a petição que tem estado a circular com o apoio e a assinatura de diversos dirigentes do PEV.
Ponta Delgada,
9 de Fevereiro de 2017

Voltar