Pesquisa avançada
Início - Grupo Parlamentar - Atual Legislatura - Atividades - Intervenções na Ar (Escritas)
 
 
Intervenções na Ar (Escritas)
Partilhar

|

Imprimir página
18/05/2017
Pede esclarecimentos sobre os dados económicos (DAR-I-89/2ª)
Sr. Presidente, Sr. Deputado Renato Sampaio, de facto, os dados indicam-nos que a economia portuguesa superou todas as previsões. São boas as notícias económicas que contrariam indiscutivelmente as previsões do PSD e do CDS e, como referiu, com estes números, é necessário recuar mais do que uma década para encontrar uma variação homóloga do PIB idêntica à do 1.º trimestre de 2017. É preciso recuar ao início do século para encontrar um valor mais alto. Ora, isto significa que é possível crescer sem castigar as pessoas; significa que a devolução de rendimentos também está a produzir resultados; significa que tinham razão todos aqueles que disseram que havia alternativas à austeridade, que, aliás, marcou as políticas do PSD e do CDS; significa que a austeridade não era, como não é, uma inevitabilidade; significa que a mudança de políticas está ser produtiva e que, de facto, se impunha.

Agora, vamos esperar que os portugueses possam continuar a beneficiar desta mudança de políticas e que estes números tenham reflexos na vida das pessoas, das famílias e na qualidade dos serviços públicos prestados aos cidadãos.

O Sr. Deputado Renato Sampaio tem razão, o diabo veio mesmo! O diabo veio mesmo, mas não veio para os portugueses, não veio para a nossa economia, nem veio para o Governo, o diabo veio para o PSD e para o CDS. E porquê? Porque o País está melhor. De facto, este trimestre foi mesmo o diabo para o PSD e para o CDS.

Sr. Deputado Renato Sampaio, a pergunta que quero deixar-lhe é a seguinte: parece-lhe, ou não, estranho que aqueles que, quando havia dúvidas, diziam que vinha aí o diabo, agora, perante os números, vêm reivindicar a paternidade da obra, dizendo que o mérito também é do Governo anterior?

Voltar