Pesquisa avançada
Início - Grupo Parlamentar - Atual Legislatura - Atividades - Intervenções na Ar (Escritas)
 
 
Intervenções na Ar (Escritas)
Partilhar

|

Imprimir página
17/12/2015
Petição n.º 457/XII (4.ª) e outras iniciativas sobre adoção de medidas para a melhoria da saúde, no concelho do Seixal, nomeadamente a construção de um hospital e de novos centros de saúde
Intervenção da Deputada Heloísa Apolónia
Petição n.º 457/XII (4.ª) e outras iniciativas sobre adoção de medidas para a melhoria da saúde, no concelho do Seixal, nomeadamente a construção de um hospital e de novos centros de saúde (DAR-I-18/1ª)
Assembleia da República, 17 de dezembro de 2015

Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Em nome do Grupo Parlamentar de Os Verde, quero também começar por saudar todos os peticionários e, de entre esses peticionários, saudar aqueles que fizeram questão de estar hoje aqui a assistir a esta sessão, em particular o Sr. Presidente da Câmara e o Sr. Presidente da Assembleia Municipal do Seixal.
Sr.as e Srs. Deputados, imaginemos um hospital construído para servir cerca de 150 000 habitantes e imaginemos que esse hospital não serve essa quantidade de habitantes, servindo, sim, cerca de 450 000. É assim que funciona o Hospital Garcia de Orta, com algumas agravantes pelo meio.
Em 2013, passou a hospital de referência para os hospitais do Barreiro e de Setúbal, tem perdidos médicos de especialidade — pessoal, portanto —, havendo na região uma insuficiência claríssima de cuidados primários de saúde, o que leva mais pessoas aos hospitais, como sabemos.
Já agora, deixem-me recordar aos Srs. Deputados do PSD e do CDS que os senhores estão a falar de uma região que tem uma imensíssima falta de médicos de família, que tem inúmeros utentes sem médico de família e que os senhores prometeram aos portugueses que não acabariam a Legislatura passada sem que todos os portugueses tivessem médico de família. Falharam o vosso compromisso!
Daqui resulta, evidentemente, uma enormíssima incapacidade de resposta dos serviços hospitalares, designadamente do Hospital Garcia de Orta, elevados tempos de espera e de atendimento e ruturas efetivas em determinadas alturas.
Acho que todos aqui o reconheceram, porque é inegável, é impossível não reconhecer que é imprescindível a construção e a existência de um hospital no Seixal.
Acontece que este é um processo que já leva várias legislaturas. Foram inúmeras as promessas e os compromissos feitos em torno da efetivação do hospital do Seixal.
Já aqui foi falado o acordo estratégico assinado pelo Governo de então com a Câmara Municipal, em 2009, que determinava até que o hospital do Seixal estaria concluído em 2012. Perdemos, portanto, tempo, Sr.as e Srs. Deputados!
O Governo anterior, do PSD e do CDS, suspendeu o processo, e suspendeu-o porque quis, porque foi essa a sua opção.
E, Sr. Deputado Bruno Vitorino, vou dizer-lhe uma coisa: estranho muito o ódio que o senhor aqui manifestou hoje caso o hospital do Seixal venha a ser construído!
Termino mesmo, Sr. Presidente, dizendo o seguinte: Sr.ª Deputada Ana Catarina Mendes, saúdo as suas palavras e quero dizer-lhe que Os Verdes aqui estarão para cobrar a afirmação perentória que a Sr.ª Deputada aqui hoje fez, em benefício do Seixal, de Almada e de todas aquelas populações.
Voltar