Pesquisa avançada
Início - Grupo Parlamentar - Atual Legislatura - Atividades - Intervenções na Ar (Escritas)
 
 
Intervenções na Ar (Escritas)
Partilhar

|

Imprimir página
24/03/2017
Sobre as declarações proferidas pelo Presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem (DAR-I-68/2ª)
Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Os Verdes associam-se aos votos de protesto e de repúdio pelas infelizes e inaceitáveis declarações do Presidente do Eurogrupo relativamente a Portugal e aos restantes países do sul.

Neste contexto creio que convinha não perder de vista que, quando falamos do Presidente do Eurogrupo, estamos a falar de um dos grandes impulsionadores das políticas de austeridade que tanto mal fizeram aos portugueses em termos de direitos e de rendimentos, e que não só nada resolveram como ainda agravaram os problemas.

Mas mais: quando o Presidente do Eurogrupo fala do desperdício de dinheiro dos países do Sul, deveria — porque seria mais adequado e mais sensato — falar do dinheiro que os países do sul desperdiçaram na ajuda à banca, nomeadamente à banca holandesa. Mas também podia falar do dinheiro que os países como Portugal deixaram e continuam a deixar de receber pelo facto de a União Europeia continuar a fechar os olhos à vergonha que representa permitir às empresas portuguesas que desloquem a sua sede fiscal para a Holanda para não pagar impostos em Portugal e pagá-los na Holanda, quando deviam pagá-los no nosso País.

Eram estes os desperdícios que deviam ser referidos, mas o Presidente do Eurogrupo preferiu a conversa fácil do assunto que está a indignar todos os portugueses e todas as portuguesas.

Portanto, pelo que disse, mas sobretudo pelo que representa, o atual Presidente do Eurogrupo deixa definitivamente de ter condições para continuar no cargo e, por isso mesmo, Os Verdes reclamam o seu afastamento imediato da presidência do Eurogrupo.

Voltar