Pesquisa avançada
Início - Ecolojovem - Comunicados
 
 
 
Comunicados
Partilhar

|

Imprimir página
08/03/2018
Tomada de Posição da Ecolojovem sobre o anúncio de redução de 5% das vagas nas instituições de ensino superior de Lisboa e do Porto
O Governo anunciou recentemente a pretensão de reduzir em 5% o número de vagas disponíveis nas instituições de ensino superior de Lisboa e do Porto como medida para que vagas sejam preenchidas nas instituições de ensino superior do interior do país.

A Ecolojovem – Os Verdes rejeita absolutamente esta medida.

A Ecolojovem entende que é necessária a aplicação de medidas de investimento no interior assim como dar oportunidade aos jovens de poderem frequentar o ensino superior, mas tal não pode significar uma redução global e indiscriminada do número de vagas nas instituições de ensino superior sem qualquer estudo e fundamentação técnica validada pelo Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) e pelo Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP).

Existem jovens no nosso país que, por razões financeiras, embora tenham a possibilidade de frequentar o ensino superior, não têm a possibilidade de sair da sua área de residência. Alguns destes alunos frequentam as universidades de Lisboa e do Porto por serem aquelas nas quais não têm que realizar outros gastos que não os da alimentação e da deslocação, não estando aptos à candidatura a bolsas de estudo, e como tal, a colocação em instituições de ensino superior longe da sua área de residência, que impliquem o pagamentos de despesas como habitação, água, luz, gás, supermercado, entre outros.

Por isso, a Ecolojovem concorda que devam ser tomadas medidas para estimular o interior e apresentamos como propostas:

  • O investimento em equipamentos e nos serviços públicos no interior como postos de correios, centros de saúde, bibliotecas, benefícios para empresas que criem postos de trabalho no interior do país;

  • Gratuitidade do ensino superior, como garantia de igualdade de oportunidades para todos os cidadãos;

  • Acção social mais eficiente;

  • Bolsas para o pagamento de despesas relacionadas com a deslocação prolongada da sua área de residência para estudantes que queiram frequentar as instituições de ensino superior do interior do país.

 

Voltar