Pesquisa avançada
Início - Ecolojovem - Comunicados
 
 
 
Comunicados
Partilhar

|

Imprimir página
17/12/2018
Tomada de Posição da Ecolojovem sobre o Encontro Nacional de Juventude 2018
No âmbito do Conselho Nacional da Juventude, do qual a Ecolojovem faz parte enquanto organização membro, participámos no Encontro Nacional da Juventude promovido pelo CNJ nos passados dias 12 a 15 de Dezembro no Centro de Congressos do Estoril, em Cascais.

 

Relativamente ao encontro urge dizer que a Ecolojovem encontrou muito pouca discussão juvenil. Todo o encontro estava centrado em palestras com oradores e moderadores que dada a sua idade pouco se incluem na categoria de juventude, promovendo uma atitude paternalista e moralista relativamente àquela que deveria ser a atitude dos jovens no seio da sociedade.

 

Por outro lado, foi dado muito pouco tempo de debate aos jovens para que expusessem o seu ponto de vista ou para que debatessem entre eles mesmos aqueles que são os temas centrais para a vida da juventude no nosso país neste momento.

 

Os grupos de trabalho formados com o objetivo de debater quais os direitos que deveriam estar incluídos na Carta Universal dos Direitos do Homem foram completamente enviesados e “guiados” no sentido de se obterem os “direitos finais” que estavam já programados pela direção do CNJ, novamente cortando o direito ao debate e à democracia no seio da juventude.

 

Durante o Encontro Nacional de Juventude foi enviado um e-mail para todos os participantes impondo-lhes a participação na apresentação do ex-Presidente da República Ramalho Eanes, do qual transcrevemos “Informamos ainda que amanhã, das 13h às 13h30, vamos fazer controlo de entrada de todos os participantes para a organização certificar que todos estão presentes e NINGUÉM faltará à apresentação do General Ramalho Eanes.”, o que no entender da Ecolojovem não é aceitável, considerando-se mesmo uma atitude ditatorial por parte do Concelho Nacional de Juventude.

 

Finalmente, a Ecolojovem encontra-se preocupada com a forma como o CNJ decidiu cortar a democracia e a pluralidade democrática do nosso país, contando que em praticamente nenhum momento houve a presença dos Partidos mais à esquerda com representação parlamentar, dos quais salientamos o PEV, o PCP e o BE, o que na nossa opinião espelha claramente as opções político-partidárias no seio do CNJ e que contribui em muito para a descredibilização dos jovens no nosso sistema eleitoral e democrático.

 

Assim, a Ecolojovem – Os Verdes, vem por este meio espelhar a sua posição de rejeição deste modelo de “Encontro Nacional de Juventude” comprometendo-se com a juventude portuguesa em confrontar a direção do Conselho Nacional de Juventude relativamente a estas questões.

 

Segunda, 17 de Dezembro de 2018,

 

A Direção Nacional da Ecolojovem – Os Verdes

Voltar