Pesquisa avançada
Início - Comunicados - Comunicados 2017
 
 
Comunicados 2017
Partilhar

|

Imprimir página
13/04/2017
Verdes acusam: percursos alternados na Linha Azul do Metro prejudicam os utentes
O Deputado José Luís Ferreira, do Grupo Parlamentar Os Verdes, entregou na Assembleia da República uma pergunta em que questiona o Governo, através do Ministério do Ambiente, sobre a decisão tomada pela Administração do Metropolitano de Lisboa de implementar serviço alternado na Linha Azul para a Pontinha e para a Reboleira, pelo que as estações de Alfornelos, Amadora Este e Reboleira deixarão de estar servidas pelo Metro cada vez que o percurso for encurtado até à Pontinha.

Pergunta:

A Administração do Metropolitano de Lisboa decidiu iniciar, a 27 de Março, o serviço alternado na Linha Azul para a Pontinha e para a Reboleira, nos dias úteis entre as 07:30 e as 10:00, sob o argumento de adequar a oferta à procura e otimizar recursos e material circulante.

Quer isto dizer que as estações de Alfornelos, Amadora Este e Reboleira deixarão de estar servidas pelo Metro cada vez que o percurso for encurtado até à Pontinha.

A propósito desta medida em que as composições circularão alternadamente entre Santa Apolónia-Pontinha e Santa Apolónia-Reboleira, a comissão de utentes dos transportes públicos e as organizações representativas dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa já se manifestaram, discordando da implementação destes percursos alternados, por considerarem que não resolve os problemas da empresa e prejudica os utentes.

Nesse sentido, os sindicatos e órgãos representantes dos trabalhadores do Metropolitano chegaram mesmo a enviar à administração da empresa um parecer negativo em relação à medida proposta, apresentando alternativas que não implicariam a diminuição de composições.

Este modelo de circulação, apresentado como temporário, é similar ao que já está em funcionamento na linha amarela, e representará uma redução na oferta nas horas de ponta no concelho da Amadora.

A alteração dos percursos na linha azul do Metro está relacionada com a falta de material circulante e de trabalhadores, cuja contratação havia sido prometida pelo Governo em abril do ano passado e que urge ser concretizada, sob pena de se agravarem os problemas na prestação deste serviço de transporte.

Assim, ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, solicito a S. Ex.ª O Presidente da Assembleia da República que remeta ao Governo a seguinte pergunta, para que o Ministério do Ambiente possa prestar os seguintes esclarecimentos:

1. Não considera o Governo que a implementação de percursos alternados na linha azul do Metro de Lisboa prejudica os utentes uma vez que há redução na oferta do serviço prestado?

2. Pondera o Governo diligenciar junto do Metropolitano de Lisboa no sentido de suspender esta decisão, tendo em conta a contestação e o retrocesso que representa na prestação de um serviço público de qualidade?

3. Considerando que foram apresentadas propostas alternativas a esta medida, qual a razão para não terem sido implementadas?

4. Quando serão contratados os trabalhadores em falta no Metropolitano de Lisboa, de forma a garantir a prestação de um serviço que responda às necessidades das populações?

5. Quantos trabalhadores serão contratados?

O Grupo Parlamentar “Os Verdes”
O Gabinete de Imprensa de “Os Verdes”
T: 213919 642 - F: 213917424 – TM: 910 836 123 imprensa.verdes@pev.parlamento.pt) www.osverdes.pt
13 de abril de 2017
Voltar